Manifesto da colher de pau
   Alessandra  Vieira  │     3 de junho de 2015   │     18:30  │  0

colher de pau

Colher de pau é símbolo da campanha

Com o intuito de mobilizar a sociedade em prol da preservação da biodiversidade e cultura alimentar, o Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (FBSSAN) lançou recentemente a campanha Comida é Patrimônio.

A campanha pretende provocar essa reflexão a partir de quatro temas: Comida é bem material e imaterial; Comida é identidade, memória e afeto; Comida é dialogo de saberes; modos de viver, produzir e comer.

O público pode participar na página do Facebook (www.facebook.com/pages/F%C3%B3rum-Brasileiro-de-Soberania-e-Seguran%C3%A7a-Alimentar-e-Nutricional-Fbssan/146998155474275?fref=ts) respondendo às perguntas: “que alimentos (não) estamos comendo?” e “Quais alimentos devemos preservar?”.

Lá também podem ser vistas matérias e entrevistas que proporcionam amplo debate sobre os temas propostos. Um desses textos é de autoria do querido Raul Lody, antropólogo, museólogo e pesquisador na área de alimentação com diversos livros publicados, além de idealizador do Museu de Gastronomia Baiana. O conheci em 2001 durante a reinstalação do Museu Théo Brandão de Antropolgia e Folclore. Ele e Cármen Lúcia Dantas foram os responáveis pela atual museologia do prédio. Segue o texto que resume bem o intuito do movimento:

 

Manifesto da Colher de Pau

Por Raul Lody

Pela salvaguarda das cozinhas regionais e tradicionais do Brasil, e com respeito aos acervos culinários que são também identificados nos conjuntos de objetos de madeira, metal, fibra natural trançada, cerâmica entre outros; conjuntos de objetos variados e fundamentais ao ofício de se fazer a comida e possibilitar a preservação das receitas, e ainda preservam a estética de cada prato e o seu serviço em diferentes espaços e ambientes sociais.

A comida servida à mesa, em banca, sobre esteira, sobre folha de bananeira, traz vivências das muitas experiências culturais de comensalidade nos cenários das casas, dos mercados, das feiras, dos restaurantes, dos templos, entre tantos outros.

Pela segurança alimentar e principalmente pela soberania alimentar o “Manifesto Colher de Pau” quer valorizar cada objeto, implemento de cozinha, e rituais sociais de oferecimento de comida e bebida como forma de preservação do exercício dos saberes tradicionais e indentitários de famílias, regiões, segmentos étnicos, religiões; e, em destaque, a compreensão plena da importância técnica e simbólica de cada objeto.

Assim, morfologia, material, função, trazem memórias ancestrais que são definidoras das peculiaridades das culturas e dos povos que são identificados em cada objeto. Objeto vinculado ao que se entende por “patrimônio integrado” no entendimento contemporâneo de patrimônio cultural imaterial.

Respeitar e manter estes acervos materiais nas cozinhas, e nos serviços, garantem os espaços de singularidade e de peculiaridade dos nossos sistemas alimentares de brasileiros, e os acervos significativos dos sabores, da construção dos paladares, ações que se dão no exercício das culturas.

Para saber mais e participar da campanha, acesse www.fbssan.org.br

OBS.: A substituição da colher de pau pela de outros materiais, como a de polietileno é uma das questões em debate. Por isso, o utensílio é o emblema da campanha e do Manifesto.

 

Tags:, , ,

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *