“Feijão correu para o mar”: a história por trás do novo prato de André Generoso
   Alessandra  Vieira  │     1 de março de 2016   │     12:11  │  0

IMG_6731

“Feijão correu para o mar” foi elaborado para batizar o prato da Boa Lembrança do Divina Gula deste ano

Que o chef André Generoso é um artista já se sabe. Percebe-se por seus pratos sempre criativos e originais desenvolvidos com habilidade e sensibilidade exclusivas dos mestres. Mas além do seu talento, há muita leitura e pesquisa por trás de cada criação. Exemplo disso é o “Feijão correu para o mar”, elaborado para batizar o prato da Boa Lembrança do Divina Gula deste ano.

De cara, a obra de André Generoso chama atenção pelo inusitado, afinal, não é comum por aqui um prato de feijoada de frutos do mar. Na caçarola, feijão de corda, camarão, lula, peixe e linguiça, tudo num encorpado caldo de peixe. Vocês podem imaginar como isso é gostoso? Ainda mais quando se conhece todo processo de criação.

IMG_6748

Chef André Generoso comanda a cozinha do Divina Gula

Tudo começou pela escolha do feijão que se deu aproveitando o mote de a ONU decidir que 2016 seria o ano internacional das leguminosas e, entre elas, o feijão, pensou o chef. Só precisava decidir que carne usaria. Como em 2014, o prato da Boa Lembrança foi uma costela e em 2015, carne de porco, pensou que estava precisando fazer um de frutos do mar, então começou a pesquisar. Os pratos da Boa Lembrança (projeto da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança, que agrega restaurantes que primam pela qualidade e ingredientes brasileiros) devem ter sempre algo que remeta a questão das raízes. Então o chef pensou em Portugal e viu que lá eles usam muito frutos do mar com feijão. Polvo com feijão, por exemplo, é muito comum.

Foi aí que entrou a parceria do filho Vitor – que segue os passos do pai na cozinha e estuda na escola de gastronomia Institut Paul Bocuse, em Lyon, na França. Por este motivo, “Feijão correu para o mar” ganhou um toque assim, meio afrancesado, garantido pelo alho-poró, salsão e tomilho, temperos muito utilizados na culinária francesa, mas pouco usadas no Divina Gula, então, no “Feijão correu para o mar”, foram colocados de forma delicada para o sabor não sobressair.

E os acompanhamentos? Em uma das suas idas ao Mercado da Produção, chef André Generoso viu umas bancas de camarão seco e pensou que daria uma farofinha interessante, acrescentando também uma pimentinha de cheiro. E como a base do prato é uma feijoada…, bom, feijoada sempre tem uma couve. Botou a couve no arroz.

Ao saborear “Feijão correu para o mar”, se sente mais que sabor – resultado da união perfeita entre ingredientes, temperos, qualidade e talento. Também estão lá tradição, história e sentimento.

 

MENU

“Feijão correu para o mar”

Divina Gula l R. Eng. Paulo B Nogueira, 85, Jatiúca l (82) 3235-1016 l aceita cartões.

Ao escolher a opção no cardápio, você ganha o prato de cerâmica com ilustrações dos itens da receita e também pode participar do Clube do Colecionador. Pergunte lá como funciona.

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *