Monthly Archives: abril 2018

Noite de festim gastronômico
   Alessandra  Vieira  │     17 de abril de 2018   │     13:20  │  0

A noite aconteceu no último dia 10, no restaurante Divina Gula e reuniu cozinheiros de todo o País

Reunir as cozinhas tradicionais e autorais brasileiras da maior qualidade ao mesmo tempo, numa só noite, numa só cozinha. Isso só poderia dar muito certo… e deu! A noite aconteceu no último dia 10, no restaurante Divina Gula e reuniu cozinheiros de todo o País, ciceroneados pelos chefs Serginho Jucá e André Generoso. A iniciativa foi uma das ações da Semana do Conhecimento 2018, evento da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – ABRASEL e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas-SEBRAE que apresentou, dos dias 9 a 13 de abril, em Maceió, cursos e palestras de profissionais da área como forma de difundir conhecimentos que contribuam para o crescimento do setor de alimentação fora do lar. 

A festa foi ciceroneada pelos chefs Serginho Jucá e André Generoso, no Divina Gula

Na bancada, além de Jucá e Generoso, Rubens Salfer, do restaurante Dom, em São Paulo; Paula Leite, do Cozinha Roccia, na Paraíba; Vitor Generoso, do Divina Gula, em Maceió; Lucas Corazza, um dos jurados do programa Que Seja Doce, do canal GNT; Sandy Farias, da Le Brulé, Maceió e Yeda Rocha, do eterno Irmãs Rocha.

Dá uma conferida como foi a noite!

ENTRADAS:

Ovo, puba e cogumelos: a entrada vegetariana do chef Rubens Salfer, do restaurante Dom (SP) leva farinha d´água com coco, caldo de cogumelos da Amazônia com a goma de tapioca

Entrada do mar: famoso e apreciado Hot dog lagosta com alioli de queio do reino e macaxeira palha do chef Serginho ucá, do Sur, Maceió

PRINCIPAIS:

Principal do mar: Sururu, mocotó e milho, da chef Paula Leite, do Cozinha Roccia (PB)

Principal 2: Porchetta e jus de leitão, mousseline de feijão branco, crocante de rroz negro e mostarda salteada. Preparação de Vitor e André Generoso, do Divina Gula, Maceió

SOBREMESAS

 

Cartola e chocolate: espuma de requeijão, crocante de avelãs com chocolate, creme de chocolate com mel, curd de limão cravo, calda de caramelo com chocolate ao leite e bananas caramelizadas

UMA SOBREMESA, DOIS MOMENTOS

Uma sobremesa composta de dois momentos: o primeiro para limpar o paladar e o segundo para causar certo estranhamento por romper tradições. O confeiteiro Lucas Corazza, do programa de TV da GNT, Que seja doce, veio a Maceió a convite da Semana do Conhecimento – evento promovido pela Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) e Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), com cursos e palestras de profissionais da área da gastronomia, durante o período de 9 a 13 de abril – e, no último dia 10, participou de um jantar que reuniu chefs de diversas partes do País. Para o evento, ele resolveu ousar.

Leve creme adstringente feito com jabuticaba, chocolate branco, limão e matchá

Primeiro, ele dividiu a sobremesa em duas partes: a pré-sobremesa e a sobremesa propriamente dita. Na primeira etapa, um leve creme adstringente feito com jabuticaba, chocolate branco, limão e matchá. “Porque, geralmente, na hora que comemos a sobremesa, o sabor fica comprometido com todos os outros sabores que vieram antes. O alho de algum lugar, o feijão branco… então eu quero tirar tudo isso da boca do comensal”, garantiu o confeiteiro. E não é que funcionou? O amargo do matchá (um chá verde mais encorpado) mais o azedo da jabuticaba mais o doce do chocolate deixou um gosto terroso na boca que anulou qualquer vestígio anterior.

Foi aí que Lucas surpreendeu com a sua sobremesa, uma releitura toda particular da tradicional cartola. Desconstruída, a iguaria leva banana, espuma de requeijão, crocante de avelãs e chocolate, curd de limão cravo e chocolate com mel. “É a minha forma de ver a cartola. Eu adoro banana com queijo e eu gosto muito de quando vem com canela, mas acho que já está cansativo usar a canela, ela já está presente em muitos elementos”, justifica.

No lugar da especiaria, Lucas usou um chocolate produzido na cidade de Barretos, em São Paulo. O limão cravo do interior paulista trouxe frescor e leveza à preparação; a crocância da avelã bem amarguinha e também uma calda de caramelo com chocolate ao leite. “Acho que isso completa todos os sabores que a gente espera à noite encontrar numa cartola. O sal, o caramelo, o queijo… você tem todos os equilíbrios ali, mas com uma nova memória. É a forma que eu vejo essa memória acontecendo. É diferente!”.

Na saída, mesa sortida com sonhos, bolo de rolo, bolo Souza Leão, brasileiras, cocadas, bolinhos de limão, cenoura com chocolate, banana e nozes e maizena, pétit four de canela e baunilha, além de café e chá. Tudo preparado por Sandy Farias, da Le Brulé e Yeda Rocha, do Irmãs Rocha

>Link